WI-FI DE GRAÇA NA PONTE GERA POLÊMICA

3877683419_45e1a59bda_o

Especialistas e policiais rodoviários alertam para o risco do aumento no número de acidentes devido à imprudência dos motoristas

A liberação, na Ponte Rio-Niterói, da rede wi-fi, a qual entrou em funcionamento de forma gratuita na última quarta-feira, está causando polêmica. Especialistas em trânsito e policiais rodoviários alertam que, apesar de ser uma boa iniciativa, o número de acidentes pode aumentar consideravelmente na via. Somente neste ano foram registrados 106 acidentes na Ponte, sendo três casos envolvendo mortes. Ao todo 46 motoristas foram flagrados usando o celular ao dirigir em um período de seis meses.

Ao mesmo tempo em que os oito radares fixos foram instalados na Ponte com o objetivo de reduzir o índice de acidentes, principalmente os graves, disponibilizar acesso à internet grátis em uma via de grande importância como a Ponte Rio-Niterói, por onde passam 150 mil motoristas diariamente, vai na contramão da ideia. Pelo menos é o que pensam alguns. Na última quarta-feira, dia em que foi liberada a rede wi-fi gratuita, usuários da Ponte relataram, através das redes sociais, que muitos motoristas utilizavam o celular enquanto dirigiam.

“Interessante colocar radares de velocidade de 80 km/h e liberar acesso à internet, que apesar de péssima qualidade, acaba distraindo os motoristas na lentidão da travessia! Nunca vi tanta gente no celular e dirigindo ontem (quarta)” publicou o internauta Jairo Oliveira, no Facebook.

O chefe de policiamento da 2ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal em Niterói, Marcelo Ligieiro, alerta que o uso da rede deve ser feito pelos passageiros. Ele acredita que o número de ocorrências de acidentes possa aumentar por conta de motoristas imprudentes.

“Entendemos que o uso de wi-fi deve ser feito entre os passageiros, que muitas vezes ficam presos em engarrafamentos na Ponte, mas não pelos motoristas. É uma boa iniciativa, mas não podemos descartar que isso gere um aumento de acidentes por uso de celular dos condutores, que não respeitam o Código de Trânsito”, argumenta Ligieiro, alertando que, durante congestionamentos, o motorista também pode utilizar a rede e se distrair na via, facilitando a ocorrência de colisões.

O chefe de policiamento também ressalta que a consciência de não usar o celular ao dirigir deve partir do motorista. “Todo direito vem acompanhado de responsabilidade, mas nem todos sabem usufruir”, completa.

A presidente da Comissão de Acompanhamento e Estudos da Legislação de Trânsito da OAB de Niterói, Paola de Andrade Porto, por sua vez, acredita que a liberação de wi-fi na Ponte, visto que o sinal da internet 3G de algumas operadoras não funcionam bem no local, pode, muitas vezes, auxiliar os usuários.

“Passam muitos ônibus pela Ponte Rio-Niterói e o uso de internet é bom para os passageiros. Além disso, quem sofre com algum problema mecânico no veículo no meio da Ponte pode ter a internet como aliada, mas tem que saber usar com prudência”, ressalta.

“De fato a disponibilidade de wi-fi grátis vai distrair o motorista, principalmente durante um engarrafamento, e vai causar acidentes. Mas a educação no trânsito tem que ser trabalhada. Afinal não temos que pensar só nos motoristas, mas nos passageiros que não devem ficar sem o serviço por causa das infrações de outros”, argumenta.

A professora de engenharia de transportes da Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de janeiro (UFRJ) e engenheira civil Eva Vider alerta para o uso irresponsável do serviço: “Os motoristas  já abusam dos smartphones via 3G e 4G e a tendência óbvia é o aumento do uso com o wi-fi, tendo como consequência o aumento no número de acidentes. Por isso, a fiscalização do uso do smartphone por parte dos motoristas, inclusive de ônibus e caminhões, e até mesmo motociclistas, deve ser intensificada”.

Foto: Ricardo Zerrenner / Riotur

, , , , , , , , , ,

Trackbacks/Pingbacks

  1. JOC1 - WI-FI DE GRAÇA NA PONTE GERA POLÊMICA - Guia Regiao dos Lagos - 8 de junho de 2016

    […] Veja a notícia completa no portal do Jornal O Cidadão […]

Deixe uma resposta

Deixe sua opinião aqui. Seu e-mail será mantidos em sigilo.